A racionalidade substantiva das práticas de autogestão

Uma análise sobre as dinâmicas organizativas de mulheres na Economia Solidária sob a perspectiva da história oral

A Professora Associada do ISMAT Sílvia Maria Dias Pedro Rebouças, teve o artigo intitulado “A racionalidade substantiva das práticas de autogestão: Uma análise sobre as dinâmicas organizativas de mulheres na Economia Solidária sob a perspectiva da história oral”, em coautoria com os Professores da Universidade Federal do Ceará Maria de Nazaré Moraes Soares e José Carlos Lázaro da Silva Filho, premiado como o melhor na área de Estudos Organizacionais em Sustentabilidade, no XXI Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente (ENGEMA), que se realizou de 4 a 6 de dezembro de 2019, em São Paulo.

O artigo foi fruto da tese de doutoramento em Administração e Controladoria na Universidade Federal do Ceará da Professora Maria de Nazaré, orientada pela Professora Sílvia e pelo Professor José Carlos. A tese, defendida em maio de 2019, teve como objetivo investigar como as práticas de autogestão das mulheres na Rede Economia Solidária e Feminista (RESF) refletem a racionalidade substantiva de uma gestão feminista e se concretizam como um modelo exequível de organizações produtivas.

O artigo premiado no XXI ENGEMA, de natureza exploratória, visou discutir a racionalidade substantiva neste contexto da Economia Solidária, na perspetiva da história oral, que privilegia as vozes esquecidas ou invisibilizadas, de sujeitos muitas vezes à margem das dinâmicas da economia e da sociedade.

Mais Informações